Tradutor

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O que vai acontecer em 2011? Depende de nós! Um maravilhoso ano cultivado com sementes de sorrisos, perdão e empatia!

Contagem regressiva! Lá vem 2011!



O FIM DE MAIS UM ANO

(Jorge Reigada)


Encerra-se mais um ano em sua vida.

Quando este ano começou ele era todo seu.

Foi colocado em suas mãos.

Podia fazer dele o que quisesse.

Era um livro em branco, e nele você podia ter escrito um poema,

um pesadelo, uma blasfêmia, uma oração.

Podia...

Hoje, já não pode mais, já não é mais seu.

É um livro já escrito... concluído.

Como foi um livro escrito por você, ele um dia lhe será lido,

Com todos os detalhes e você não poderá corrigi-lo.

Estará fora de seu alcance.

Portanto, antes que termine o ano, reflicta, tome seu velho livro e folheie com cuidado.

Deixe passar cada uma das páginas, pelas mãos e pela consciência.

Faça o excelente exercício de ler você mesmo. Afinal é a sua história

escrita por suas ações. Leia tudo.

Aprecie aquelas páginas de sua vida em que usou o melhor estilo.

Leia também as páginas que gostaria de nunca ter escrito.

Não, não tentes arrancá-las enquanto escreve o novo livro que lhe será entregue.

Assim poderá repetir as coisas boas e evitar as ruins.

Para escrever o seu livro, você contará novamente com o instrumento do

livre arbítrio, e terá para preencher toda a imensa superfície do seu mundo.

Se tiver vontade de beijar seu velho livro, beije.

Se tiver vontade de chorar sobre ele, chore, mas a seguir coloque-o nas

mãos do destino, não importa como esteja.

Ainda que tenha páginas negras, entregue e diga apenas duas palavras:


OBRIGADO E PERDÃO.


E agora, com o Ano Novo chegando, está lhe sendo entregue um novo livro, novo, limpo, branco e todo seu. No qual você novamente irá escrever o que desejar...


UM FANTÁSTICO 2011, QUE VOCÊ CONSIGA ESCREVER UM EXCELENTE LIVRO!

domingo, 26 de dezembro de 2010

O Homem e o Tempo

No mundo moderno, parece que o tempo é um artigo de luxo.

São constantes as reclamações a respeito de sua falta.

Muitos se dizem atarefados em excesso.

Incontáveis afirmam que o tempo parece passar cada vez mais rápido.

Envoltos em inúmeros afazeres, sentem-se autênticos reféns da vida.

Essa dificuldade humana para bem administrar o tempo não constitui algo novo.

O Espírito Emmanuel, mentor de Francisco Cândido Xavier, já tratou dela.

Certa feita, ele afirmou que o tempo não passa pelo homem, mas que o homem, sim, passa pelo tempo.

A diferença pode parecer sutil, mas é muito importante.

Quando se está parado e algo passa, surge uma certa sensação de lerdeza ou imobilidade, pois não se consegue acompanhar o que vai adiante.

O fenômeno apresenta-se diferente quando é o homem que passa e segue em frente.

Segundo o dizer de Emmanuel, é justamente isso que ocorre em relação ao tempo.

O homem é que se movimenta e direciona o seu viver, ao longo do tempo que lhe é dado.

Sendo assim, ele é quem dita o ritmo de sua vida.

Essa imagem feliz procura desvincular o ser humano de um sentir deletério em relação ao fenômeno temporal.

Ela busca capacitá-lo para viver em plenitude o momento presente.

Sem remorsos pelo que já foi.

Se erros foram cometidos, é necessário corrigi-los, mas de nada adianta escravizar-se ao passado.

Também evita ansiedades pelo que ainda será.

O importante é fazer o melhor no tempo presente.

Desfrutá-lo, em suas inúmeras possibilidades.

Ter ciência de que cabe ao homem disciplinar o próprio viver.

A mídia por vezes trabalha contra isso.

Ela passa a impressão de que o relevante é comprar muitas coisas, frequentar certos locais, distrair-se até a exaustão.

Habitualmente se afirma que o tempo é de ouro, ou que tempo é dinheiro.

Dependendo do enfoque, as assertivas são verdadeiras.

É preciso mesmo dar destinação útil ao próprio tempo.

Mas de forma equilibrada, sem se converter em escravo de atividades que se multiplicam de modo desnecessário.

E também sem se permitir torturar pelo que já foi ou pelo que virá.

Desfrutar o momento que se vive.

Se é horário de trabalho, trabalhar com serenidade, sem se angustiar pelo que ocorre em outros ambientes.

Em casa, desfrutar em paz da companhia da família.

Em momentos de estudo, apenas estudar.

Para viver em paz em meio às tormentas do mundo, é preciso tornar-se senhor do próprio tempo.

Eleger o que merece dedicação em dado instante e fazê-lo com serenidade.

Como disse Jesus, o dia de amanhã cuidará de si mesmo.

Se o hoje for bem vivido e aproveitado, certamente o amanhã será pacífico.

Pense nisso.

Redação do Momento Espírita. Em 07.12.2010.
video

Receita para um Ano Feliz!

(enviada pelo amigo Diamantino)

Corte cada mês em 28, 30, ou 31 pedaços diferentes, mas não cozinhe todos ao mesmo tempo.

Limpe-os cuidadosamente de toda a amargura, ódio e inveja.

Tome 12 meses completos.


Prepare um dia de cada vez com os seguintes ingredientes:

- Uma parte de fé

- Uma parte de paciência

- Uma parte de coragem

- Uma parte de trabalho

Junte a cada dia uma parte de esperança, de felicidade e amabilidade.

Misture bem, com uma parte de oração, uma parte de meditação e uma parte de entrega.


Tempere com uma dose de bom espírito, uma pitada de alegria e um pouco de acção, e uma boa medida de humor.

Coloque tudo num recipiente de amor.

Cozinhe bem, ao fogo de uma alegria radiante.

Guarneça com um sorriso e sirva sem reserva.

As Duas Pulgas - Max Gehringe


Muitas empresas caíram e caem na armadilha das mudanças drásticas de coisas que não precisam de alteração, apenas aprimoramento.

O que lembra a história de duas pulgas.
Duas pulgas estavam conversando e então uma comentou com a outra:
- Sabe qual é o nosso problema?
Nós não voamos, só sabemos saltar.
Daí nossa chance de sobrevivência quando somos percebidas pelo cachorro é zero.
É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas.

Elas então contrataram uma mosca como consultora, entraram num programa de reengenharia de vôo e saíram voando.
Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra:
- Quer saber?
Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele.
Temos de aprender a fazer como as abelhas,
que sugam o néctar e levantam vôo rapidamente.
Elas então contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa.
Funcionou, mas não resolveu...
A primeira pulga explicou por quê:
- Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando.
Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito.
Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez.
E então um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen.
Resolvido, mas por poucos minutos....
Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar.
Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha, que lhes perguntou:
- Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica?
- Não, reengenharia.
Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI.
Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento.
- E por que é que estão com cara de famintas?
- Isso é temporário.
Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar.
- E você?
- Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia.
Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer, e perguntaram à pulguinha:
- Mas você não está preocupada com o futuro?
Não pensou em uma reengenharia?
- Quem disse que não?
Contratei uma lesma como consultora.
- Mas o que as lesmas têm a ver com pulgas. quiseram saber as pulgonas...
- Tudo. Eu tinha o mesmo problema que vocês duas.
Mas, em vez de dizer para a lesma o que eu queria, deixei que ela avaliasse a situação e me sugerisse a melhor solução...
E ela passou três dias ali, quietinha, só observando o cachorro e então ela me deu o diagnóstico.
- E o que a lesma sugeriu fazer?
- "Não mude nada. Apenas sente-se no cocuruto do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança".

Você não precisa de uma reengenharia radical para ser mais eficiente.
Muitas vezes, a GRANDE MUDANÇA é uma simples questão de reposicionamento.
Ver a vida de um outro ângulo, se colocar no lugar das pessoas, auto análise, mudança de atitude.
Reposicionamento diante da vida para encontrar a verdadeira felicidade e bem-estar.
Neste novo ano que se aproxima está disposto (a) a reposicionar-se?

Ofereço à você...




domingo, 12 de dezembro de 2010

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Celine Dion e Andrea Bocelli - The Prayer



Belas vozes transmitindo uma bela mensagem.
"Sonhamos com um mundo sem violência, um mundo de justiça e esperança,
em que cada um estenda a mão ao seu próximo!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A_JU_DANÇA

A_ju_Dança 2010 é um projecto da secção de Desporto Adaptado do EVS em parceria com o estúdio de Dança Margarida Valle e apoio do INR.
Irá ter as suas apresentações públicas nos dias 25 e 26 de Novembro às 21h30, no Estúdio 400 na Foz do Porto.
Entrada 10€. Bilhetes à venda na Secretaria do EVS e Estúdio de Dança Margarida Vale.
Mais informações adaptado@evs.pt


Local Estúdio 400
Rua Pêro de Alenquer (FOZ)
Porto, Portugal

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

A vida é mesmo uma Arte!

PINTA na tela da vida as cores e formas do amor e tua obra será valiosa;

DANÇA livremente e utiliza os movimentos, sejam eles leves ou fortes, para te levarem ao encontro da felicidade;



CANTA com alegria as canções de tua preferência, emite palavras belas e faz dos teus dias uma grande melodia;



COLA nas feridas o penso chamado "tempo" e tuas dores serão aliviadas;


CONTA E RECONTA a história da tua vida e tem como foco da narrativa os pontos positivos e interpreta os pontos negativos como aprendizagens;

ESCULPE em ti mesmo as formas da paz e da harmonia e molda teus pensamentos de modo a torná-los cada vez mais saudáveis;

BRINCA E DIVERTE-TE com as pessoas que encontrares e verás despertar em ti o sorriso e a criança interior;



ENCENA mentalmente as atitudes de sucesso que pretendes alcançar, recita teus objectivos com convicção e os teus passos serão iluminados pelo farol do otimismo;



DESENHA variados caminhos a seguir e escolhe as melhores estratégias de acção rumo aos objectivos e teus sonhos se concretizarão!!!

É bem verdade o que diz a sabedoria popular.

A Vida é mesmo uma arte!!!
Eveline Carvalho Cunha - outubro/2010 - em uma noite muito feliz!

sábado, 23 de outubro de 2010

Receita para a crise!!!

Isto sim é uma boa opinião!!!!!!

Solidão - Fátima Irene Pinto


Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... Isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma....

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A Hipnose é reconhecida e adotada pela Medicina

(Fonte:http://boaspraticasfarmaceuticas.blogspot.com)

Primeiro foi a acupuntura. Agora, é a vez de a hipnose ser finalmente reconhecida e adotada pela medicina. O método começa a figurar entre o arsenal de recursos oferecidos por instituições de renome no mundo todo. É usado, por exemplo, no Memorial Sloan- Kettering Cancer Center e no M. D. Anderson Cancer Center, dois dos mais importantes centros de tratamento e pesquisa da doença, para diminuir efeitos colaterais da quimioterapia, como a fadiga e a dor. Também é utilizada no Hospital de Liège, na Bélgica, como opção de analgesia. No Brasil não é diferente. Já faz parte da rotina de serviços de primeira grandeza como o Hospital A. C. Camargo, de São Paulo, especializado na luta contra o câncer, e ganhou espaço no Hospital das Clínicas de São Paulo (HC/SP), a instituição que serve de escola para os estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). As indicações também são amplas.
Só para citar algumas, além do câncer: dor crônica, transtorno do pânico, asma, tensão pré-menstrual, enxaqueca, analgesia em procedimentos dentários, alergias, problemas digestivos de fundo nervoso, fobias e insônia.

Esta entrada definitiva da hipnose pela porta da frente da medicina não ocorreu por acaso. O movimento está sustentado por uma gama de estudos comprovando sua eficácia nas mais variadas enfermidades. Um dos mais recentes foi conduzido na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e provou que o método pode ser usado com sucesso no diagnóstico de crianças com epilepsia. Os cientistas queriam saber se as oito participantes tinham mesmo crises da doença ou manifestavam os sintomas - muito parecidos com os provocados pela enfermidade - por causa de outros fatores, como stress profundo. Eles levaram as crianças a um estado hipnótico e as fizeram imaginar que estavam tendo uma crise. Enquanto isso, elas eram monitoradas por aparelhos de exame de imagem. Em todas, as áreas ativadas durante o transe não foram as tradicionalmente associadas à epilepsia. A conclusão foi a de que as crianças de fato não tinham a doença. Agora, os cientistas querem ensinar os pequenos a evitar as crises usando a hipnose.

Outro trabalho de resultado expressivo foi apresentado no congresso do Colégio Americano de Pneumologia, realizado no final do ano passado nos Estados Unidos. Coordenado por médicos do Massachusetts General Hospital, o estudo revelou que pacientes hospitalizados com doenças cardíacas submetidos a apenas uma sessão de hipnose tinham maiores chances de vencer a luta contra o tabagismo após seis meses do que aqueles que usavam adesivos para repor a nicotina. "Constatamos que a hipnoterapia está entre as melhores opções terapêuticas contra o cigarro", afirmou Faysal Hasan, líder do trabalho. No Beth Israel Deaconess Medical Center e na Faculdade de Medicina de Harvard (EUA), pesquisadores constataram que a técnica tornou mais confortável e menos dolorosa a realização de biópsia de nódulos de mama. "A hipnose ajuda muito a diminuir o stress das mulheres que precisam passar por essa experiência", disse Elvira Lang, professora de radiologia de Harvard. No Brasil, as pesquisas sobre os possíveis benefícios também começam a proliferar. Na Faculdade de Medicina da USP, campus de Ribeirão Preto, os médicos verificaram seu efeito como terapia auxiliar contra a dor de cabeça persistente. "Os resultados foram muito promissores. A hipnose pode ser um tratamento coadjuvante nesses casos", afirma o neurologista José Geraldo Speciali, professor do departamento de neurologia da universidade.

Hospitais do Brasil e do Exterior usam o método no tratamento de sintomas de doenças como câncer, asma ou insônia. Conclusões como essas estão motivando investigações mais profundas sobre os mecanismos pelos quais o método produz resultados. A explicação mais plausível obtida até agora é a de que a hipnose provoca modificações profundas no funcionamento do cérebro, alterações essas documentadas por exames de imagem precisos e sofisticados. Os achados derrubam por terra, de vez, a associação equivocada da técnica com algo místico, esotérico. Não é nada disso. Hoje, o conceito médico de hipnose é claro: trata-se de um estado alterado de consciência induzido por profissionais capacitados. Nesse estado, há mudanças nos padrões das ondas cerebrais e várias estruturas do órgão são ativadas com maior intensidade, em especial as relacionadas à memória e às emoções.

O objetivo é atingir um nível máximo de atenção para extrair da mente o que for preciso para ajudar no tratamento, aproveitando que as condições cerebrais obtidas deixam o paciente com maior abertura para ser sugestionado. "A pessoa desvia a atenção dos estímulos externos e a crítica diminui. Ela passa a entender e aceitar melhor as sugestões dadas pelo hipnólogo", explica o médico Osmar Colás, coordenador do grupo de estudos de hipnose do departamento de psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Um trabalho muito interessante comprovou quanto os indivíduos de fato ficam abertos à sugestão, chegando a enganar o próprio cérebro nesse processo. O neuropsicólogo Stephen Kosslyn, da Universidade de Harvard, induziu voluntários hipnotizados a enxergarem cor em um painel totalmente cinza. Nos exames de imagem, verificou que as áreas cerebrais ativadas foram exatamente as acionadas para a percepção de cores variadas.

Um exemplo prático desse processo pode ser visto nos passos tomados para o tratamento da dor. "É preciso fazer com que o paciente saia do foco da dor. Por meio da hipnose, ele deve ser levado a se concentrar em estímulos de relaxamento e sensações prazerosas, fazendo com que se esqueça o máximo possível da sensação de desconforto", explica a psiquiatra Célia Lídia Costa, do Hospital A. C. Camargo. Mas essa não é a única possibilidade. "Pode-se modificar a percepção de uma dor intensa para uma sensação de peso ou formigamento ou reduzir o tamanho da área dolorida para apenas uma parte", diz o clínico e psicoterapeuta João Figueiró, do Centro Multidisciplinar de Dor do HC/SP. De acordo com David Spiegel, pesquisador do Instituto de Neurociência da Universidade de Stanford, a alteração no entendimento do que ocorre também traz outro benefício, além de maior conforto: "O método reduz a ansiedade que normalmente acompanha os episódios de dor", Um alerta importante: os profissionais sérios jamais tratam dores cujas causas não tenham sido identificadas.

Fonte: Revista Isto é

Depressão e Hipnose

A depressão se apresenta como uma falta de gosto pela vida, como um transtorno afetivo e do humor. O indivíduo depressivo normalmente tem uma visão distorcida da realidade e não consegue perceber um futuro que seja prazeroso. Apresenta apatia frente aos diferentes estímulos que a vida lhe apresenta.

A depressão é uma alteração no pensamento, uma quebra de raciocínios que antes seguiam uma linha e que agora mediante a este novo estado, começa a pensar e sentir de uma forma até mesmo incoerente. Perdendo um pouco o próprio sentido da vida, suas motivações e objetivos enquanto Ser Humano.

Este transtorno não é apenas psíquico, também é físico na medida que há uma baixa na produção de serotonina, o hormônio que proporciona as sensações de prazer no corpo, sendo as vezes necessário medicamentos. Isso acontece na medida em que métodos de psicoterapia não são suficientes ou ter procurado um profissional depois de um certo tempo do sintoma se manifestar.

A hipnose, possibilita diferentes articulações do pensar, o que pode proporcionar mudanças específicas, onde o indivíduo ao vir pensando de uma certa forma, um pensamento viciado, ou mesmo contagiado pelo problema da depressão, pode modificá-lo. O paciente precisa ver transformada suas formas de perceber a si mesmo, o mundo e seu próprio futuro; Do negativo para o positivo. Com a hipnose, é possível coloca-lo em diferentes situações no presente e futuro, onde possa se imaginar já com uma nova realidade. Ver-se em diferentes situações: em casa, com familiares, amigos, no trabalho, na rua ou no clube. O interessante é cobrir o máximo de possibilidades onde o paciente possa se ver nas mudanças de hábitos, pensamentos, comportamentos e nas suas diferentes interações humanas.

Na hipnose, também tem-se a possibilidade do transe, que é um pensamento direcionado, este proporcionará com ainda maior facilidade a mudança. Desta forma pode-se ajudar o paciente a reaprender ou mesmo aprender novas formas de reagir frente aos diferentes estímulos, que até então eram de apatia. Como mais gosto, mais prazer, voltando à sua vida normal, conquistando um viver mais equilibrado.

Odair J. Comin

É BOM SER DO BEM!


EXCELENTE INICIATIVA! INCENTIVAR CONDUTAS PROACTIVAS, ALTRUÍSTAS... DO BEM!!!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Seminário de Gestão de Recursos Humanos


Quatro horas bem passadas ao lado de gestores e empresários no dia 24 de setembro em Ponte de Lima no Seminário Gestão de Recursos Humanos - inserido no programa QI PME Norte/UERN.


Reflectimos sobre as mudanças, o que entendemos por crise, gestão de competências e sobre o significativo papel da liderança neste contexto. A atitude coach da liderança e os benefícios para a equipa, também foram contemplados.


Agradeço a oportunidade! Cada ser humano é um universo a brilhar!!!




Saldo Positivo.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Reflexão em tempo de "Volta às aulas"

A criança inicia o processo de valorização do estudo e da escola através dos pais.

Ontem vi no comboio uma mãe a dizer para a filha de 3 anos: "Se não ficar quieta e sentada, amanhã, às 9h, vais ver para onde te levo... sabe???.sabe onde???...para a escola!"


A avaliação, positiva ou negativa, que os pais atribuem à escola é parte importante e significativa para o sucesso ou fracasso escolar. Identificar a escola como um castigo só contribui para o distanciamento e repulsão da criança pelos estudos e dificulta a sua adaptação ao ambiente escolar! Lamentável!

Envelhecer é inevitável, crescer é opcional!!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Labaredas Mentais

Assistimos, durante o período de intenso calor, o número crescente de incêndios por todos os cantos de Portugal. A situação de ameaça da integridade física e dos bens amealhados ao longo dos anos gerou sentimentos e emoções de medo, preocupação, comoção, indignação e até revolta com tais acontecimentos.

Aproveitemos este cenário de “destruição” para reflectirmos pela positiva sobre a acção dos pensamentos negativos em nossas vidas. Façamos, então, uma comparação: cada foco de incêndio pode ser entendido como uma idéia negativa que criamos. Os pensamentos negativos nascem pequenos, criam volume e força e com os ventos do pessimismo espalham-se por todos os lados lançando uma “fumaça espessa”, energias pesadas e transformam-se em acções prejudiciais ao nosso equilibrio e bem-estar físico e emocional. Esse pode ser rapidamente apagado se, no momento em que estiver a surgir, lançarmos a “água” das ideias positivas, da paciência, do optimismo e da esperança. No entanto, se não lhe dermos a devida atenção esse pequeno foco torna-se uma grande labareda, capaz de consumir tudo e todos à sua volta. Torna-se quente, desconfortável, lança uma fumaça escura e destrói tudo. O que pensamos cria a nossa realidade.



Agora, imaginem milhões de pessoas a pensarem negativamente em nosso Planeta. São milhões de “focos de incêndios” a poluirem o ambiente e as relações interpessoais e que podem ser apagados através de um elemento importante e individual: a vontade!. Vontade de mudar e direccionar os pensamentos, atitudes e comportamentos para o equilíbrio, a paz e a tranquilidade interior.





Pensemos: se ao longo da vida cultivarmos os pensamentos pessimistas, derrotistas, as ideias fixas e as crenças irracionais e fixarmos a atenção nos aspectos negativos da vida, ou seja, se o nosso “solo estiver muito seco”, a “queimada” acontece de forma avassaladora gerando mal-estar, desequilíbrio e doenças. Ao contrário, se ao longo da vida cultivarmos o hábito de pensar positivamente e focarmos nas lições que a vida nos oferece e não nos problemas, ou seja, se mantivermos o terreno “irrigado” o incêndio poderá não acontecer ou, então, um pequeno foco (adversidades, contrariedades, conflitos) poderá aparecer mas ele não terá a força necessária para se alastrar e será facilmente apagado pois o solo estará propício. Em todas as situações é preciso acção efectiva.

Imaginemos o que somos neste momento. Terra fértil, verdejante que abriga os animais e que transmite paz, alegria e irradia bem-estar? Ou somos terra seca, propícia ao alastrar do fogo pelos pensamentos negativos que cultivamos?

Tudo em que pensamos influencia as nossas emoções e o nosso comportamento e, mais ainda, influencia o ambiente em que vivemos pois pensamento é energia e em tudo na natureza há energia. Como co-criadores que somos o que será que estamos a criar para nós e para o nosso planeta?

Quando assistirmos à uma situação de incêndio pensemos, primeiro, em enviar “força” para aqueles que estão a tratar do assunto para que tenham sucesso; em segundo, pensemos na natureza e no planeta que precisam de equilíbrio através dos nossos pensamentos equilibrados e, em terceiro, pensemos se em nossas cabeças estarão também a sair labaredas. Se a resposta for sim, façamos a opção de transformar os pensamentos negativos em positivos.

O roteiro a seguir o auxiliará neste percurso.
  • Analise que tipo de pensamentos negativos tens, por exemplo:
    - Sou estúpido, burro;
    -Não vou conseguir;
    - Não sou capaz de fazer nada direito;
    - Tudo de mal acontece comigo ou isto só acontece comigo;
    - Sou um perdedor;
    - Nunca serei suficientemente bom;
    - Esta depressão não vai passar nunca;
    - Estou velho/a para aprender;
    -Mesmo que me esforce nunca conseguirei;
    - Sou assim e não tem jeito de mudar;
    - O mundo não tem jeito entre muitos outros.
  • Verifique em que medida (intensidade – 1 a 10) ele lhe causa desconforto e limita as tuas acções, o teu crescimento e bem-estar.;
  • Identifique as emoções (medo, ansiedade, irritação, tristeza...) associadas aos pensamentos;
  • Reflita sobre as tuas crenças:
  • Escolha as crenças limitadoras mais significativas neste momento e questione sua validade.
  • Pense e escreva afirmações positivas que se contraponham aos seus pensamentos negativos. Por exemplo:
    - Sou capaz de realizar o que desejo empenhando-me em aprender e agir;
    -Amo a vida e a mim mesmo e por isso cuido de minha saúde física e mental;
    - Todos tem a possibilidade de mudar e crescer, eu quero ser feliz e aceito as mudanças;
  • Crie momentos prazerosos para si: leia, cante, dance. Faça o que lhe der prazer! Permita-se!
  • Sorria mais e mais. O sorriso tem a capacidade de modificar o nosso estado de ânimo. Mesmo que seja inicialmente “forçado” logo que iniciamos o exercício de sorrir o riso verdadeiro surge. Os benefícios são grandes! Liberação de hormonas do prazer e do relaxamento.
  • Exercite-se. A prática regular de uma actividade física ajuda a reduzir os efeitos negativos do estresse no organismo. Seja para liberar a raiva acumulada, as tensões ou o excesso de adrenalina.
  • Respire profunda e lentamente em vários momentos do seu dia. Expirar e inspirar são fundamentais para auxiliar no autocontrole durante os momentos de pico de estresse, quando a respiração se torna curta e ofegante.
  • Exponha-se ao SOL! A exposição à luz natural aumenta a resistência a doenças infecciosas, melhora as condições de trabalho e o humor.
  • Ajude, colabore e auxilie alguém. Retiramos o foco de preocupação para voltar a nossa atenção ao outro.
  • Para quem é religioso – ore , louve, medite, dedique-se às tarefas construtivas.


Transforme o seu dia e os anos de sua vida através da mudança de pensamentos e emoções negativas em positivas. Foque no melhor que você pode fazer hoje para ser feliz e não deixe que os pequenos focos se transformem em grandes incêndios.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O Samurai e a Serenidade

Perto de Tóquio vivia um grande samurai, já idoso, que agora se dedicava a ensinar Zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro, conhecido por sua total falta de escrúpulos, apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação. Esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para observar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante.


O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. Conhecendo a reputação do velho samurai, estava ali para derrotá-lo e aumentar sua fama.
Todos os estudantes se manifestaram contra a idéia, mas o velho e sábio samurai aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade. Lá, o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos que conhecia, ofendendo, inclusive os seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho sábio permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro desistiu e retirou-se.


Desapontados pelo fato de o mestre ter aceitado tantos insultos e tantas provocações, os alunos perguntaram:
— Como o senhor conseguiu suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que poderia perder a luta, ao invés de se mostrar covarde e medroso diante de todos nós?


O sábio Samurai perguntou aos alunos:
— Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
— A quem tentou entregá-lo — respondeu um dos discípulos.
— O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos — disse o mestre. — Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carrega consigo.


A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a serenidade, só se você permitir! Pensemos nesta grande lição. (autor desconhecido)


O projecto A Arte de Bem Viver existe para lhe ajudar no processo de autoconhecimento e autocontrolo, facilitando os relacionamentos interpessoais, para a conquista do equilíbrio, bem-estar e felicidade. Novidades já cheiram no ar!!! Até breve!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Yoga do Riso no Parque da Cidade


Parque da Cidade - Porto/Matosinhos:
Encontro às 17h30mim dos sorrisos no Parque da Cidade pela Boa Vista (em frente ao estacionamento). Logo após, escolha de um cantinho no parque com direito a relva bem verdinha, som dos pássaros, brisa leve e convidamos também o amigo sol!!!

O que é Yoga do Riso:

Uma sessão de yoga do riso consiste numa actividade lúdica onde se intercalam exercícios de respiração e alongamentos yoga com exercícios de riso. É uma actividade de catarse colectiva através do riso, dinamizada por um líder. Na realidade, é uma ginástica da gargalhada com consequências também terapêuticas. Transportam as pessoas do riso falso ao riso verdadeiro. Nas sessões de Yoga do Riso os líderes do Riso desenvolvem actividades que despertam o lado lúdico da vida e a criança interior, através da realização de dinâmicas de grupo, exercícios que visam a alegria, integração e satisfação pessoal assim como, do grupo.

Foi desenvolvida pelo médico indiano Dr. Madan Kataria auxiliado por sua esposa Madhuri Kataria. Começou com apenas 5 pessoas gargalhando sob sua orientação e actualmente existem mais de 6000 clubes do riso espalhados por todo o mundo.

A gargalhada ajuda no processo de recuperação de todas as enfermidades e desequilíbrios, melhora a comunicação, a criatividade, o fluxo do pensamento e os relacionamentos interpessoais.

Líderes do Riso: Madalena David, Ana Portocarrero, Eveline Carvalho Cunha e Susana Cal

Tempo da sessão:

Em média 60 minutos. É composta por 3 fazes:

1. Exercícios de aquecimento e respiração.

2. Exercícios de riso yoga.

3. Meditação de riso e Relaxamento.

É aconselhável roupa confortável para a sessão.

Estes são algums dos principais benefícios do Yoga do Riso:

Melhora da Saúde e Bem-estar; Regula o sono; Ajuda na digestão; Efeito analgésico; Passar do estado simpático (stress/alerta) para o estado parassimpático (descontraído,relaxado); Aumenta os níveis de oxigénio no corpo e liberta endorfinas; Aumenta a resistência física através da estimulação do sistema imunitário; Prevenção/tratamento de estados depressivos; Aumento da criatividade e humor; Maior capacidade de reter e relembrar informação; Desenvolve a autoconfiança e as qualidades de liderança entre os participantes; Transforma emoções como a raiva, o medo, os ciúmes ou a tristeza em emoções positivas como amor, amizade, perdão e compaixão; Melhora as relações humanas no geral.


terça-feira, 24 de agosto de 2010

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Ria! Pela sua saúde



Por: Boas Notícias - 13/08/2010


Quando chega a casa, depois de um dia de trabalho, quantas vezes já insultou o condutor da frente, embirrou com os colegas ou perdeu a paciência com o empregado do café? Se a resposta é "muitas vezes" aprenda a encarar a vida de outra maneira... porque está provado que RIR dá saúde e faz crescer.

Pouco adianta ficar furioso quando entornamos café na camisa lavada ou quando temos que mudar um pneu furado. Os nervos complicam a situação e o raciocínio. Encarar as dificuldades pelo lado positivo permite-nos ver com mais clareza as soluções possíveis e portanto, manter uma mente mais sã.

Segundo as últimas pesquisas, o riso é uma arma eficaz contra o stress e atenua sentimentos de tensão, ansiedade e frustração. Ninguém é perfeito e a própria vida está recheada de contratempos. Mas o stress - tão comum, sobretudo, nas grandes cidades -agrava os problemas além de afastar as outras pessoas.

Tomando como referência o trabalho do psiquiatra George Vaillant - que identificou a presença de cinco mecanismos capazes de combater o stress, entre eles o humor - o médico norte-americano William Fry garante que este pode atuar contra a frustração, o medo e a raiva, O que de facto faz sentido: se as emoções negativas podem perturbar o organismo, por que não podem as emoções positivas restabelecer a harmonia?

Quem ri seus males espanta
Mas para além dos benefícios psicológicos, o bom humor reflete-se também no nosso corpo. Um estudo realizado pela Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, comprovou que o riso e o sentido humor são uma arma eficaz para prevenir enfartes e acidentes cardiovasculares. E está provado, estatisticamente, que a maior parte dos ataques cardíacos acontecem em momentos de tensão.

A equipa de Maryland interrogou 150 pessoas com problemas cardíacos sobre a sua capacidade de rir em diversas situações. Depois comparou os resultados com as respostas de 150 pessoas saudáveis. O resultado revelou que os indivíduos cardíacos não achavam piada a 40 cento das situações que os indivíduos sem doenças coronárias consideravam cómicas.

"Não sabemos ainda porque o riso protege o coração, mas sabemos que a tensão mental engrossa o tecido do interior dos vasos sanguíneos", pois provoca uma acumulação de gorduras e colesterol, afirmou um dos membros da equipa. E a obstrução das veias é o primeiro passo para ter uma crise cardíaca.

Rir = exercício físico
Além do coração, uma boa sessão de gargalhadas estimula a imunidade do corpo. O riso dispara a produção de "gamma interferon", o que estimula as chamadas células "T" - que defendem o corpo de ataques virais e células cancerígenas.

Mas há mais... uma gargalhada vigorosa pode proporcionar exatamente a mesma resposta física que o exercício aeróbico intensivo. Ao rir, o ritmo cardíaco e respiratório aumenta e as pressões do sangue e do corpo tendem a subir.

Tal como o exercício físico, o riso libera as hormonas que aumentam o ânimo, aumentam a oxigenação do sangue, alimentam a pele e relaxam o corpo. Calcula-se que um dia cheio de gargalhadas tem um valor aeróbico equivalente a 10 minutos de remo ou 15 minutos de bicicleta. Ou seja, uma semana a rir equivale a mais de 1 hora e meia de exercício e pode ser bem mais divertido!

Resumindo: o riso cura. Além de dar alento, rir estimula as defesas naturais do organismo. Alta tensão arterial, problemas cardíacos, e outras doenças do coração também podem ser reduzidas com uma boa dose de riso. Por fim, rir provoca a expansão da caixa torácica, aumenta a capacidade de respirar e relaxa os músculos.

"Patch" Adams, o Dr. Riso

Hoje em dia, o riso é utilizado para combater várias doenças crónicas e psicossomáticas, como também para ajudar pacientes que sofrem de cancro e doenças cardíacas. Mas o pioneiro da "terapia do riso" foi Hunter Adams cuja vida serviu de inspiração para o filme de Hollywood protagonizado por Robin Williams que encarnou a personagem de Dr. "Patch" Adams.

O verdadeiro Hunter Adams decidiu dedicar-se à medicina depois de estar internado por causa de uma depressão. Já durante o curso de medicina, Hunter começou a apostar no humor, na criatividade e no carinho, além dos medicamentos, para descontrair os doentes e acelerar os processos de cura [ver vídeo]. Adams também acredita na prestação de serviços médicos gratuitos, lutando contra o sistema de saúde privado que tem imperado nos EUA.


Depois de se tornar médico, o Dr. Hunter 'Patch' Adams fundou o Gesundheit! Institute onde passa horas mascarado de palhaço a fazer espetáculos para entreter os doentes. Todos os anos, Patch e alguns membros da sua equipa organizam viagens por vários países para partilharem as suas técnicas terâpeuticas.

Atualmente já há, em várias partes do mundo, "terapias do riso" onde, sem ajuda de qualquer medicamento ou fatores externos, se ensina as pessoas a rir, a rirem de si mesmas e a recordar situações engraçadas. O objetivo é provocar risos verdadeiros que movem 400 músculos em todo o corpo, ativam o sistema imunológico e oxigenam os tecidos.

Por isso lembre-se: uma gargalhada ou um simples sorriso, mesmo nos momentos mais complicados, podem fazer com que se sinta muito melhor. Trânsito, arrufos amorosos, problemas no trabalho são, normalmente, questões menores que não merecem o sacrifício da nossa saúde e da nossa qualidade de vida.

Benefícios Físicos:
-Sistema imunológico mais forte
-Ritmo cardíaco mais saudável
-Redução das hormonas do stress
-Relaxamento dos músculos
-Respiração mais regular

Benefícios Psicológicos:
-Menos stress
-Redução da ansiedade e do nervosismo
-Maior alegria e energia
-Maior controle das situações




quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O tempo cura tudo!


Era uma vez um passarinho que morava num ninho no alto de uma mangueira. Quando a mamãe passarinha saía cedinho para procurar alimento, falava:


- Ó filhinho, não saia do ninho. Você ainda é um filhotinho, pode cair lá embaixo e se machucar.
Mas o passarinho morria de vontade de dar as suas voadinhas, experimentar as suas asinhas cheias de peninhas. Experimentou uma vez. Experimentou a segunda. Quando experimentou a terceira, caiu e quebrou uma asa. Saiu, andando pelo chão, arrastando a asa, procurando uma ajudinha.


- Ó minha amiga vaquinha, conserte a minha asinha, que eu quebrei dando uma voadinha.
A vaquinha, muito mal-humorada, disse que não entendia de asas. O passarinho continuou o seu caminho, arrastando a sua asinha quebrada. Até que encontrou um cavalo e pediu ajuda de novo, coitadinho.


- Ó meu amigo cavalinho, conserte a minha asinha, que eu quebrei dando uma voadinha.
O cavalo relinchou e disse que não consertava asas. Não era veterinário.
E lá se foi o passarinho andando, pedindo ajuda a todo mundo que encontrava, ouvindo sempre o mesmo. Até que encontrou um rio, muito transparente, e parou para beber água.


- Ó meu amigo riozinho, conserte a minha asinha, que eu quebrei dando uma voadinha! E o rio de águas claras cantarolou:
- Bote aqui a sua asinha bote aqui no leito meu e depois não vá dizer que você se arrependeu.


E com todo cuidado, enfaixou a asinha do amiguinho, sorrindo dizendo:
- Dê um tempo ao tempo, fique quieto uns dias no seu ninho, meu passarinho!
E foi o que o passarinho fez. Voltou para o seu ninho e deixou o tempo passar, bem quietinho.
O tempo passou. Ele sarou e aprendeu a voar bem direitinho.
E no seu primeiro vôo sozinho, levou uma flor para o seu amigo riozinho. Ele agradeceu com um sorriso claro.


- O tempo cura tudo. É só dar tempo ao tempo, amigo passarinho.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Palavras Poderosas 2 - A Frase Proibida

Olá! Este vídeo complementa o post anterior sobre as palavras poderosas.

Esta dupla fantástica - Rita Vilela e Margarida Fonseca Santos - contam uma bela história repleta de profunda reflexão sobre as palavras "Eu Tenho de..." que devem ser substituidas por... Ah!!! Para saber... assista o vídeo!!! haha... ficou curioso (a)??

Veja e comente!!!

Palavras Poderosas!

As palavras têm grande poder e podem influenciar a nossa maneira de pensar e agir de forma positiva ou negativa. Este vídeo nos faz relembrar, de maneira clara, as palavras que denotam baixa e grande motivação. Vejam elas:

Baixa motivação: "necessito de", "devo fazer", "preciso de", "tenho que"... geram desmotivação e nos deixam desanimados.

Alta motivação: "quero fazer", "é importante fazer", "gosto de", "é bom terminar"... trazem motivação e ânimo, um novo impulso para a nossa acção pois o cérebro entende como positiva esta forma de comunicar.

Vejam outros exemplos neste vídeo e abusem das palavras motivadoras no dia-a-dia!!!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Faxina Mental e Emocional!


Estava a precisar de fazer uma faxina em mim... Jogar alguns pensamentos indesejados para fora, lavar alguns tesouros que andavam meio enferrujados...

Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.

Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões... Papéis de presente que nunca usei; Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li. Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas... E as coloquei num cantinho, bem arrumadas.

Fiquei sem paciência!... Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste... Mas lá também havia outras coisas... e belas!

Um passarinho cantando na minha janela... aquela lua cor-de-prata, o pôr do sol!... Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças. Sentei no chão para fazer minhas escolhas.

Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!

Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.

Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos... como foi bom relembrar tudo aquilo!

Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.

Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurada bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar... e de recomeçar!!!...

Autor desconhecido

terça-feira, 27 de julho de 2010

Solução é Sorrir

Música leve e bem disposta... "se algum problema inesperado surgir a solução é sorrir!"

É verdade, o sorriso ou o riso, seja ele natural ou inicialmente "forçado", consegue modificar o nosso estado de ânimo. Transforma emoções negativas em positivas na medida em que são liberadas no organismo as hormonas responsáveis pela sensação de prazer e relaxamento. Desta maneira, quando "algo" inesperado surgir em sua vida - Sorria! - porque o sorriso faz com que saiamos do estado de "stress", melhora o fluxo do pensamento para o encontro de novas soluções e é o grande responsável por atrair, para junto de nós, outras pessoas.

terça-feira, 20 de julho de 2010

NO REINO DAS BORBOLETAS

À beira de um charco, formosa borboleta, fulgurando ao crepúsculo, pousou sobre um ninho de larvas e falou para as pequeninas lagartas, atônitas:

- Não temais! Sou eu... Uma vossa irmã de raça!... Venho para comunicar-vos esperança. Nem sempre permanecereis coladas à erva do pântano! Tende calma, fortaleza, paciência!... Esforçai-vos por sucumbir aos golpes da ventania que, de quando em quando, varre a paisagem. Esperai! Depois do sono que vos aguarda, acordareis com asas de puro arminho, refletindo o esplender solar... Então, não mais vos arrastareis, presas ao solo úmido e triste. Adquirireis preciosa visão da vida! Subireis muito alto e vosso alimento será o néctar das flores... Viajareis deslumbradas, contemplando o mundo, sob novo prisma!...


Enquanto a mensageira se entregava à ligeira pausa de repouso, ouviam-se exclamações admirativas:

- Ah! Não posso crer no que vejo!

- Que misteriosa e bela criatura!...

- Será uma fada milagrosa?

- Nada possui de comum conosco...

Irradiando o suave aroma do jardim em que se demorava, a linda visitante sorriu e continuou:

- Não vos confieis à incredulidade! Não sou uma fada celeste! Minhas asas são parte integrante da nova forma que a Natureza nos reserva. Ontem vivia convosco; amanhã, vivereis comigo! Equilibrar-vos-eis no imenso espaço, desferindo vôos sublimes à plena luz! Conhecereis a beleza das copas floridas e o saboroso licor das pétalas perfumadas, a delícia da altura e a largueza do firmamento!...

Logo após, lançando carinhoso olhar à família alvoroçada, distendeu o corpo colorido e, voltando, graciosa, desapareceu.

Nisso chega ao ninho a lagarta mais velha do grupo, que andava ausente, e, ouvindo as entusiásticas referências das companheiras mais jovens, ordenou, irritada:

- Calem-se e escutem! Tudo isso é insensatez... Mentiras, divagações... Fujamos aos sonhos e aos desvarios. Nunca teremos asas. Ninguém deve filosofar... Somos lagartas, nada mais que lagartas. Sejamos práticas, no imediatismo da própria vida. Esqueçam-se de pretensos seres alados que não existem. Desçam do delírio da imaginação para as realidades do ventre! Abandonaremos este lugar, amanhã. Encontrei a horta que procurávamos... Será nossa propriedade. Nossa fortuna está no pé de couve que passaremos a habitar. Devorar-lhe-emos todas as folhas... Precisamos simplesmente comer, porque, depois, será o sono, a morte e o nada... Nada mais...

Calaram-se as larvas, desencantadas.

Caiu a noite e, em meio à sombra, a lagarta-chefe adormeceu, sem despertar no outro dia. Estava ela completamente imóvel.

As irmãs, preocupadas, observavam curiosas o fenômeno e puseram-se na expectativa.

Findo algum tempo, com infinito assombro, repararam que a orgulhosa e descrente orientadora se metamorfoseara numa veludosa borboleta, voejante e leve...

Anotando a lição breve e simples, creio que há muitos pontos de contacto entre o reino dos homens e o reino das borboletas.

Fonte: Livro Contos e Apólogos. Francisco Cândido Xavier.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Actividade física na adolescência pode reduzir risco de problemas mentais!


Por: Ciência Hoje

Os adolescentes fisicamente activos apresentam riscos menores de sofrerem deteriorações mentais na terceira idade, sendo que este efeito do exercício físico é mais notável nas mulheres, revela um estudo publicado no Journal of the American Geriatrics Society.

Foram utilizados dados de 9395 mulheres com 65 anos ou mais, que foram questionadas sobre a regularidade da prática de exercício durante a sua adolescência, aos 30 e aos 50 anos. As suas funções cognitivas também foram avaliadas.

Segundo os resultados, aquelas que praticavam exercício com regularidade em qualquer idade, tiveram um risco menor de debilitações mentais, quando mais velhas. No entanto, os benefícios foram mais visíveis nas mulheres que eram activas na adolescência.

Apenas 8,5 por cento das que eram activas nessa época ficaram mentalmente debilitadas mais tarde, em comparação a 16,7 por cento daquelas que foram sedentárias na adolescência. Após ajustar as diferenças entre os grupos e factores de risco como diabetes, os investigadores concluíram que a actividade física durante a adolescência estava associada a um risco 35 por cento menor de debilitação cognitiva mais tarde.

"As pessoas muitas vezes separam a mente do corpo e esquecem que a actividade física é controlada pelo cérebro", referiu Laura E. Middleton, líder do estudo.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

O caleidoscópio

A capacidade de mudar de perspectiva pode ser um dos instrumentos mais poderosos e eficazes de que dispomos para nos ajudar a resolver os desafios diários da vida.



Quando mudamos o foco de atenção do problema para as possíveis soluções ou quando decidimos que o outro não será capaz de "estragar o nosso dia", nos tornamos protagonistas da própria história!


Use o caleisdoscópio e veja as belas e diversas imagens e tons que a vida tem a oferecer!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Líderes Inovadores e Motivação!



Os líderes inovadores reconhecem que o dinheiro, a remuneração justa e equitativa, têm um papel muito importante na motivação. Mas vão além e trabalham ativamente para remover as barreiras que impedem as pessoas de colocar os seus talentos, a criatividade e conhecimentos a serviço da melhoria continua dos serviços, dos produtos e da plena satisfação de seus clientes.


Nesta importante tarefa, os líderes inovadores adotam os seguintes princípios:


Princípio da participação

A motivação tende a aumentar à medida que as pessoas têm a oportunidade de assumir responsabilidades e participar das decisões que afetam o seu trabalho e os seus resultados. Uma das melhores formas de garantir elevados desempenhos é dar às pessoas a sensação de propriedade do seu trabalho, tornando-as responsáveis pelo sucesso do seu “negócio”.

Princípio da delegação

A motivação tende a aumentar à medida que se delega às pessoas a autoridade para tomar as decisões que afetam os resultados de seu trabalho. Dar autoridade às pessoas para tomar as suas próprias decisões lhes confere um interesse genuíno nos resultados e dedicação à causa de seus clientes.

Princípio da comunicação

As pessoas que são mantidas informadas sobre os acontecimentos que influem sobre o seu trabalho tendem a manter elevados níveis de motivação. Manter as pessoas informadas sobre a empresa, seus planos e objetivos é um sinal claro de que o líder tem a mais alta consideração pelos seus auxiliares e não os vê meramente como uma engrenagem do sistema.

Princípio do reconhecimento

O reconhecimento das contribuições feitas pelas pessoas tende a manter elevados níveis de motivação e a perpetuar os bons desempenhos. Quando reconhecemos um trabalho bem-feito, estamos deixando bem claro que a pessoa recompensada é um membro valioso e importante da equipe, e que o seu exemplo e suas contribuições merecem ser seguidos.
Em resumo, mais do que nunca, o segredo do sucesso de uma organização está na sua habilidade de atrair pessoas criativas e de aproveitar plenamente o capital intelectual de sua equipe. Para isto, ela tem de se tornar um ambiente em que as pessoas criativas tenham a oportunidade de desenvolver e aplicar seus talentos, e se sintam valorizadas e amadas pelo que são e pelo que produzem.

Por: Jairo Siqueira - Criatividade e Inovação

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Mudar de Cor - Histórias de encantar e Inteligência Emocional

Estou encantada!!! Este é um texto do livro Histórias para Contar Consigo, editora Oficina do Livro de autoria de Margarida Fonseca Santos e Rita Vilela . Histórias que nos fazem reflectir, sonhar, imaginar... histórias que trazem à tona os problemas existenciais e propostas de soluções saudáveis!

Verdadeiras "Contadoras de Histórias" as autoras lançam o desafio. Vejam só:

É um livro ou um jogo? Começa por ser um jogo, um desafio: as escolhas conduzem o leitor, de história em história, num percurso que é seu...
Histórias que estimulam o imaginário, o sonho, a fantasia… .
Histórias que gostamos de contar aos outros…
Histórias que falam sobre realidades e problemas que conhecemos bem… .
Histórias que talvez façam pensar… ,
As histórias vão mudando e, quem sabe, no fim do livro, talvez o leitor também tenha mudado…
Aceita o desafio?

Esta é a primeira questão que terá de responder... ouça, leia e responda para: http://rita-vilela.blogspot.com/2008/11/histrias-para-contar-consigo-j-nasceu.html

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Valorize o Planeta! Moda e Sustentabilidade

É essencial que trabalhemos de forma a assumir a nossa responsabilidade com o meio ambiente.

Estar alinhado com o termo "ecologicamente correto" é assumir um conjunto de acções orientadas para a sustentabilidade, para o equílibrio ambiental, para o reaproveitamento e reciclagem de forma a contribuir para um mundo melhor e mais saudável. A ideia da sustentabilidade não deve ser utilizada pelas empresas somente como marketing e não ser aplicado na realidade.

Vejamos o exemplo desta empresa brasileira que cuida do planeta e faz Moda ao mesmo tempo.

Parabéns pelo Trabalho da Joyful!

terça-feira, 6 de julho de 2010

O conceito de Competência e a Formação Profissional

O conceito de competência é polissémico e foi se reformulando ao longo dos tempos. Dos anos 50 aos anos 80 perdurou a concepção de competência como comportamento manifesto, observável e mensurável. É um “saber fazer”, uma acção em situação, com o foco central nos resultados.

A autora Pires (2005) nos informa que no campo da formação esta concepção se reflectiu em um sistema de ensino formal, voltado para resultados, centrado no conhecimento e nos conteúdos com pouca articulação com a acção. O ensino baseava-se em um conjunto de sequências de aprendizagem estandardizada onde se valorizava a memorização e a repetição. Os aspectos emocionais, sociais e políticos não eram muito valorizados. A formação profissional, centrada nesta concepção, propunha uma definição sobre o que seria o comportamento excelente e a suas componentes. Posteriormente construía-se uma sequência de aprendizagem e formas de avaliação. Nesta óptica não havia espaço para uma reflexão e compreensão acerca do próprio conhecimento e da prática.

As mudanças ocorridas no mundo, a globalização, o avanço da tecnologia, as transformações económicas exigiram um novo perfil de profissional no mercado de trabalho. Um profissional que não só soubesse executar tarefas mas também que soubesse lidar, de maneira crítica e criativa, com as dificuldades e problemas oriundos do universo do trabalho. Para se chegar a tal finalidade com sucesso foi necessário repensar as concepções da escola e da formação profissional.

As transformações iniciais ocorreram na mudança do conceito de competência agora entendido como:
“a capacidade de agir, em situações previstas e não previstas, com rapidez e eficiência, articulando conhecimentos tácitos e científicos a experiências de vida e laborais vivenciadas ao longo das histórias de vida (…) vinculada a ideia de solucionar problemas, mobilizando conhecimentos de forma transdisciplinar a comportamentos e habilidades psicofísicas, e transferindo-os para novas situações; supõe, portanto a capacidade de actuar mobilizando conhecimentos” (Kuenzer, 2003:2).

Este novo paradigma abriu espaço para o pensar em novas propostas metodológicas e curriculares que atendessem melhor a proposição de articulação entre conhecimento e prática. A formação baseada em competências substituiu a centralidade dos conteúdos, pela centralidade da relação processo/conteúdo/método, de forma reflexiva.

Na formação profissional, em que existe o desafio da articulação entre teoria e prática, a forma mais adequada metodologicamente passa a ser a alternância de tempos e espaços em períodos de aprendizagens através de actividades teórico/ práticas formalizadas. Estas aprendizagens devem contemplar não só o conhecimento básico e o especifico mas, também, o conhecimento para actuar no mundo do trabalho e no mundo das relações sociais.
É por esta razão que se faz necessário cada vez mais espaço e empenho para a implementação de programas de Competência Social e de desenvolvimento da Inteligência Emocional nestes contextos.




Fonte: Kuenzer, A. (2003) Competência como praxis: os dilemas da relação entre teoria e pratica na educação de trabalhadores. Boletim Técnico do SENAC. Senac, Brasil in http:www.senac.br (11/02/2008)

Pires, A. (2005). Modelos de educação/Formação baseados em Competências. In Educação e formação ao longo da vida: Analise critica dos sistemas e Dispositivos de Reconhecimento e Validação de aprendizagens e de Competências. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

“Por que não procuras um Psicólogo?”


É provável já ter ouvido alguém responder à pergunta: “Por que não procuras um Psicólogo?” com a seguinte resposta: “EU?! Não! não sou maluco!”.
Esta crença ou ideia de que o Psicólogo trabalha somente com pessoas em desequilíbrio ou com patologias mentais (vulgarmente denominadas como malucos, loucos, etc.) é errónea e preconceituosa. De facto, o Psicólogo é chamado a intervir em casos de graves patologias ou distúrbios de conduta, o que é natural, pois estuda o comportamento e os processos psicológicos (emoção/pensamento) do ser humano.

Ora, o médico trata do doente e das suas doenças, mas orienta também as pessoas “sãs” para a prevenção das doenças, incentivando vários comportamentos saudáveis. Da mesma forma, o Psicólogo trabalha com os indivíduos em processos patológicos mas, também, intervém com propostas de desenvolvimento pessoal e de promoção da saúde mental numa perspectiva preventiva. Estas acções têm como objectivo melhorar a qualidade de vida de qualquer ser humano, proporcionando-lhe maior equilíbrio e bem-estar, desenvolvendo competências que o ajudarão a melhorar o desempenho profissional e o relacionamento interpessoal.

Assim, apesar das muitas as teorias e formas de trabalho, na vertente da consulta Clínica, o psicoterapeuta tem como função ajudar o paciente a elaborar, resolver, reflectir, reconfigurar e/ou renovar o significado dos seus medos, crenças, angústias, perdas, depressões, etc., de maneira a conquistar o equilíbrio e o bem-estar psicológico, físico e emocional. Com o auxílio da linguagem (fala) e/ou das actividades lúdicas, da música e/ou do desenho, o psicoterapeuta aproxima inteligência e emoção, para que o indivíduo possa obter mais sucesso em seus empreendimentos, a nível laboral, familiar ou interpessoal.

Na vertente Educacional, a prevenção é a palavra do momento! Observar e orientar professores, alunos e pais a utilizarem estratégias variadas e adequadas ao desenvolvimento intelectual, social e emocional de cada um é também função do Psicólogo. Grupos de Técnicas de Competências de Estudo, Orientação Profissional, desenvolvimento de projectos de Competência Social e Emocional e Competências Parentais são algumas das acções preventivas do Psicólogo escolar/educacional, além da tradicional intervenção com crianças e jovens com distúrbios de aprendizagem, comportamento e hiperactividade.

O trabalho do Psicólogo no âmbito das Organizações também é múltiplo. Observar e identificar o ambiente organizacional, propor melhorias em vários projectos de consultoria ou formação nas áreas da motivação, gestão interpessoal e conflitos, orientação para a liderança, trabalho em equipa, entre outros, são algumas das actividades do Psicólogo.

Muitas ainda são as formas de intervenção do Psicólogo. No desporto, nos fóruns, em associações de assistência social, em hospitais, enfim, em todo o lugar em que hajam seres humanos. O consultório ou gabinete privado é apenas uma pequena parte.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã..

Mas é claro que o sol vai voltar amanhã.. mais uma vez, eu sei! (...)
Acreditar no sonho que se tem!
Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo! Quem acredita sempre alcança...
Grande música de 14 Bis cantada por Renato Russo!
Vale a pena ouvir e meditar!





quarta-feira, 30 de junho de 2010

Uma visão interessante!!!





Uma forma dinâmica de informar sobre o Coaching!!!
Para o pessoal da formação - Key - um momento relax e instrutivo!!!
Até mais!!!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Vamos Brincar?

Muitos pais preocupam-se em comprar grandes prendas ou fazer grandes passeios. Mas, na realidade, a criança gosta de companhia para brincar e os pais não têm tempo para isso, devido aos compromissos profissionais.

Fica então uma sugestão: reserve um tempo para brincar e jogar com seu filho e para redescobrir a criança que há em si!

Temos a certeza de que todos vão divertir-se e vivenciar um dia especial! Mas lembre-se, não é para reproduzir o que a criança faz diariamente, ou seja, televisão, vídeojogos, etc. Pelo contrário, saia de casa, vá para o jardim, o parque, use a imaginação e relembre os jogos da sua infância. Adapte-os à realidade do seu filho.

A Terapia do Riso e o Yoga do Riso também são excelentes recursos para brincar, gargalhar e estar próximo de quem se ama. Preparados?

O Jogo tem o maravilhoso poder de aguçar a criatividade, trabalhar emoções, o racicínio, a resolução de conflitos e problemas, a comunicação e as relações entre as pessoas de forma positiva. Através da brincadeira, a criança tem a oportunidade de compreender o mundo que a rodeia, experimentar papéis sociais (o “faz de conta”), aprender regras e limites, conhecer as consequências positivas ou negativas das suas acções (ganhar, perder), além de criar ou estreitar os laços de amor, carinho e amizade.

Não se preocupe se o tempo que tem para brincar com os miúdos é pouco. O importante é a qualidade e não a quantidade.

ArtEducação: educar para valores!

Vivemos num mundo de conflitos. A nossa sociedade está fundada sobre uma cisão básica entre o sentir e o pensar, entre a razão e as emoções. A primazia da razão apresenta-se ainda nos nossos dias com feições diversas, mas de forma evidente na educação que privilegia o saber científico e a preparação profissional como meio de alcançar somente as vantagens económicas, o poder, o “status”, cultivando o individualismo.

De acordo com Mesquita (2003) o momento conturbado que presenciamos é sintoma de uma sociedade que não criou apreço pelos valores e acabou por formar adultos sem referenciais de cidadania e de respeito pelo próximo. Educar para valores, segundo o autor, é mais do que simplesmente falar e conceituar os valores de forma expositiva. A verdadeira educação para valores é aquela que cria espaços e condições para que o educando possa experimentar, identificar e incorporar os valores positivos ao seu modo de ver, viver e conviver.

Neste sentido, faz-se necessário repensar a maneira de educar as crianças e os jovens, modificando a educação pautada na transmissão de conhecimentos apenas racionais, na obtenção de notas e diplomas para a formação de pessoas conscientes da realidade em que vivem sendo críticas e comprometidas com uma acção transformadora visando uma humanidade melhor.

Mesmo vivendo numa época de mudanças aceleradas em todos os campos, tecnológico, moral e político, os jovens estão à procura de elementos e experiências que os ajudem a encontrar o sentido da própria existência e a construir um projecto de vida. A arte (artes visuais e plásticas, a música, o teatro, a dança, entre outros) surge na formação de crianças e jovens como um instrumento de desenvolvimento de suas habilidades intelectuais, criativas e sociais e como forma de expressão e ressignificação (dar novo significado a) de sentimentos e emoções.
A Arte é uma manifestação humana ancestral, um modo singular de conhecimento, de interpretação e intervenção, na realidade, que não se deixa substituir por nenhum outro (Barbosa e Sales, 1990). Experiência fundamental de liberdade de expressão, de memória e desenvolvimento da cultura, a produção artística tem a peculiaridade de transcender o tempo histórico, por meio de transgressões e rupturas, de projecções e criações imaginárias. Assim, a Arte é profundamente humanizadora, até mesmo quando devolve ao ser humano imagens de sua própria desumanização.

Para Duarte (2003) a finalidade da Arte-Educação é o de desenvolver uma atitude mais harmoniosa e equilibrada perante o mundo em que os sentimentos, a imaginação e a razão se integrem de forma a que o educando, através do contacto, da análise e da experiência com as diversas modalidades de expressão artística, elabore seus próprios sentidos em relação ao mundo à sua volta.

Segundo Torres, Coelho e Silva (2003), no processo de ensino-aprendizagem de Arte, o jovem deverá ter a oportunidade de:

■conviver com as diversas formas de Arte e com as diversas linguagens artísticas (música, artes plásticas e visuais, artes cênicas, dança…);
■experimentar a expressão de emoções, sentimentos e ideias pessoais por meio das diversas linguagens oferecidas pela arte;
■ampliar a percepção, a imaginação e a capacidade de expressão criativa;
■descobrir e aprimorar suas potencialidades em Arte;
■valorizar a Arte como forma de crescimento pessoal, como experiência lúdica e humanizadora;
■resgatar o saber artístico acumulado pela humanidade e expresso na produção artística dos diversos estilos e períodos da história da Arte;
■valorizar a Arte como forma de conhecimento, interpretação e transformação da realidade e reconhecer a transcendência da Arte como linguagem universal.

A expressão artística é um canal para confrontar e organizar concretamente as emoções e o pensamento. O pensar é um processo múltiplo e alternante e não é constituído exclusivamente pela palavra. Os procedimentos cognitivos inerentes a uma actividade artística não são, nem mais nem menos, importantes do que aqueles desenvolvidos numa actividade científica. Só é possível ao ser humano acumular conhecimentos graças à sua faculdade de simbolizar e a actividade artística é importante por estar directamente ligada à função simbólica.

O cultivo da criatividade é outro benefício da arte. Entende-se por criatividade “o processo de identificar a dificuldade, buscar soluções, formulando hipóteses a respeito das deficiências; testar e retestar estas hipóteses; e, finalmente, comunicar os resultados.” O jovem criativo reflecte sobre si mesmo e sobre o mundo e age de forma a encontrar novas soluções para os desafios tornando-se protagonista de sua própria história.

Os educadores, pais e terapeutas devem ter o compromisso de mediar as experiências dos adolescentes nas actividades artísticas, para que eles possam vivenciar, eleger e incorporar valores positivos e éticos ao seu modo de viver e conviver.

Deste modo, poderemos acreditar na educação como fonte de transformações positivas para as futuras gerações. Depende de mim, de si e de todos nós!

Fonte:

BARBOSA, A.M, SALES, H.M. (org). (1990) O ensino da Arte e sua História. São Paulo: MAC/USP.

DUARTE, J. F.(2003). Porque Arte-Educação. São Paulo, Campinas: Editora Papirus.

MESQUITA, M.F.N.(2003). Valores Humanos na Educação: uma nova prática na sala de aula. São Paulo: Editora Gente.

TORRES, C. C, COELHO, M. M. I, SILVA, S. E.M.(2003) Manual do Professor- Arte. Rede Pitágoras: Belo Horizonte: Editora Universidade.


A Criança tem stress?

Os adultos passam a vida a dizer o quanto estão stressados. Que precisam mudar de estilo de vida e amenizar o ritmo das actividades quotidianas. Já paramos para pensar que as crianças podem também sofrer de stress? Antes de enrugar a testa e achar que o stress só acontece com adultos leia com atenção este artigo.

O stress tem-se tornado, nas últimas décadas, um dos temas mais populares de pesquisa na área da saúde mental. Entretanto, crenças que postulam a inexistência de stress em crianças, entre outros mitos, permanecem, ainda hoje, cristalizadas no senso comum. O stress pode apresentar-se na infância independentemente da classe e meio sócio-cultural ao qual a criança pertença.

O stress infantil, que não difere do adulto, pode ser definido como uma reacção do organismo através de alterações físicas e emocionais que ocorrem na vida da criança quando esta se depara com situações que a amedrontam, excitam, confundem, ou, que até, a fazem extremamente feliz. Qualquer situação que desperte uma emoção forte, boa ou má, que exija mudanças no modo de agir, pode ser considerada como um elemento stressante ou fonte geradora de stress. A reacção do organismo a situações que despertam algum tipo de tensão é uma consequência inevitável do processo de vida/crescimento e está presente desde o nascimento.

Quando a criança consegue utilizar estratégias de enfrentamento1 para restabelecer a homeostase, o stress é diminuído e o seu equilíbrio interno volta ao normal (stress positivo ou eustress). Por outro lado, se a tentativa de restabelecer o equilíbrio não for bem-sucedida devido a estratégias equivocadas, a criança começa, então, a adoecer (stress negativo ou distress)2. Neste caso, podem surgir problemas graves de saúde, de comportamento e dificuldades de relacionamento causando, consequentemente, distúrbios de atenção e concentração, dificuldades de aprendizagem e baixo rendimento escolar.

Mas, então, surge a questão: o que pode desencadear stress?

Primeiro é necessário esclarecer que tudo depende da avaliação que fazemos das situações que nos acontecem. Não é só o facto em si que gera stress mas, principalmente, a forma como o avaliamos entre positivo ou negativo. Por exemplo, o que para uma pessoa pode ser um evento devastador para outra pode ser considerado uma oportunidade de crescimento e aprendizagem.

As fontes geradoras de stress infantil podem ser divididas em externas e internas. As primeiras dizem respeito aos eventos que ocorrem na vida da criança e que ultrapassam a sua capacidade de adaptação. Já as segundas referem-se às características de personalidade, pensamentos e atitudes da criança frente aos momentos experienciados. Neste último caso, o stress pode ser criado pela própria maneira de perceber a si mesmo e ao mundo em redor.

Fontes Externas:

-Mudanças Constantes – casa, escola, país;-Actividades em excesso;
-Brigas e/ou separação dos pais;
-A Escola: ambiente físico desadequado, a conduta do professor, as formas de avaliação, a mudança de ciclos, a repetência;
-Morte na família;
-Exigência e/ou rejeição de colegas;
-Disciplina confusa – quando não há uma definição clara dos comportamentos que são ou não aceitáveis;
-Hospitalização e doenças;
-Nascimento de irmão;

Fontes Internas:

-Timidez – a criança tímida tende a isolar-se, fugir ou evitar certas situações cotidianas, “complexo de inferioridade”;
-Ansiedade – agitação, irritabilidade excessiva, intranqüilidade e medo de que algo ruim aconteça ameaçando-lhe a própria segurança;
-Castigos Divinos – medo das crianças de serem punidas por Deus;
-Formação das crenças irracionais – crenças irracionais são uma maneira distorcida e disfuncional de julgar as situações e estão ligadas a uma tendência particular de julgar negativamente a si mesmo, o mundo e as pessoas. Tais crenças constroem-se a partir do meio familiar, escolar, religioso, bem como da cultura em que a criança está inserida.

No quadro a seguir serão apresentados os sintomas mais frequentes relacionados ao stress infantil excessivo:




Pesquisadores de referência sobre o assunto apontam que a negação de pais e profissionais acerca da existência do stress infantil origina, cada vez mais, o agravamento dos problemas e sintomas de muitas crianças, na medida em que elas são privadas de tratamento.

Um estudo realizado pela psicóloga Eveline Cunha (2000) com 100 crianças do 2º ano de escolas públicas e privadas, de Juiz de Fora, Brasil, com idades entre 7 e 9 anos evidenciou através da Escala de Stress Infantil – ESI (Lipp e Lucarelli, 1998), que 25 crianças apresentavam médio e alto nível de stress. Baixo índice para as estatísticas no geral mas muito significativo para as 25 crianças e suas famílias que vivenciavam o problema sem o devido diagnóstico e orientação.

O psicólogo tem um importante papel neste contexto para auxiliar as crianças, os pais e os professores a identificar e a lidar com os agentes stressores de maneira a reduzir seus efeitos negativos, assim como, para propor estratégias preventivas.
Nas próximas semanas falaremos mais detalhadamente sobre algumas causas de stress infantil e as estratégias de como lidar com o stress.

Fonte:

■CARVALHO, E. (2000) Stress Infantil e Escolaridade: um estudo em escolas públicas e particulares de Juiz de fora” (bolsista do VII Programa de Bolsas de Conclusão de Curso de Graduação – BCCG/ UFJF) Universidade Federal de Juiz de Fora.
■FRANÇA, A C. & RODRIGUES, A .L. (1999) Stress e Trabalho: uma abordagem Psicossomática. São Paulo: Atlas.
■LIPP, M. (org). (1999) O Stress está dentro de você. São Paulo: Contexto.
■LIPP, M.E.N & LUCARELLI, M. D.M. (1998) Escala de Stress Infantil. São Paulo: Casa do Psicólogo.
■TANGANELLI, M.S.L. & LIPP, M.E.N. (1998) Sintomas de stress na rede pública de ensino. Estudos de Psicologia. São Paulo, vol.15, nº 3, p:17-27.
1 Enfrentamento: conjunto de esforços que uma pessoa desenvolve para manejar ou lidar com as solicitações externas ou internas, que são avaliadas por ela como excessiva ou acima de suas possibilidades (França e Rodrigues 1999).

2 Tanganelli e Lipp,1998